Artigo Reforma Trabalhista por Tiago Damiani

Atualizado: 26 de Jun de 2019


A Lei n. 13.467/2017, mais conhecida como Lei da Reforma Trabalhista, que

entrou em vigor em 11/11/2017, trouxe significativas mudanças na CONSOLIDAÇÃO

DAS LEIS DO TRABALHO – CLT (Decreto-Lei de 01/05/1943).


Não podemos negar que a Reforma Trabalhista causou um forte impacto no

Direito do Trabalho, afetando tanto a rotina dos advogados militantes na área

Trabalhista, como também em direitos dos trabalhadores e deveres das empresas.


Tanto advogados como trabalhadores e empregadores precisam ficar atentos

para as mudanças, pois a inobservância pode gerar prejuízos significativos.

Inúmeros artigos responderam, à exaustão, a famigerada pergunta: “O que

mudou?”.


Não seremos a exceção para esta regra, porém, antes de destacarmos as

mudanças havidas com a reforma, entendemos de bom tom destacar o que pouco foi

dito: O QUE NÃO MUDOU com a reforma trabalhista.


Muitos trabalhadores chegaram ao absurdo de pensar que a Reforma

Trabalhista iria impedir o acesso à justiça e que deixariam de existir diversos direitos

trabalhistas básicos, porém, podemos afirmar que isto não ocorreu.

Importante destacar que os requisitos para reconhecimento do vínculo de

emprego não sofreram quaisquer alterações, sendo certo que a definição de

empregado e empregador, contidos no caput dos artigos 2º e 3º da CLT

permaneceram inalterados:


Art. 2º - Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que,

assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige a

prestação pessoal de serviço.

Art. 3º - Considera-se empregado toda pessoa física que prestar serviços de

natureza não eventual a empregador, sob a dependência deste e mediante

salário.


Desta forma, o empregado continua sendo o trabalhador subordinado que

recebe ordens, é pessoa física que trabalha todos os dias ou periodicamente e é

assalariado, estando seus direitos devidamente protegidos pela Constituição Federal,

CLT e, ainda, Normas Coletivas de Trabalho.


Vejam alguns dos diretos trabalhistas que não sofreram alteração com a

Reforma:

  • Salário mínimo;

  • Salário família;

  • 13º Salário;

  • Seguro-desemprego;

  • Adicional de hora extra;

  • Licença-maternidade e paternidade;

  • Valores de depósitos e da indenização rescisória do FGTS;

  • Benefícios previdenciários;

  • Normas relativas à segurança e saúde do empregado;

  • Repouso semanal remunerado

  • Número de dias de férias devidos.

Estes direitos, dentre outros, incluindo o amplo acesso ao judiciário e exercício

ao direito de ação não sofreram alteração e continuam garantidos pela Legislação

Trabalhista.


Importantíssimo, agora, respondermos à pergunta famosa: “O QUE MUDOU?”.

Veja algumas das mudanças que a Lei 13.545/2017 – Lei da Reforma - trouxe

para CLT:

  • Jornada de trabalho;

  • Férias;

  • Trabalho intermitente;

  • Contribuição sindical;

  • Grávidas e lactantes em ambiente insalubre;

  • Home-office;

  • Trabalho autônomo;

  • Equiparação salarial.

  • Rescisão por mútuo acordo.

  • Honorários de Sucumbência na Justiça do Trabalho.


Foram significativas algumas das mudanças no Direito Trabalhista e nós, do

CAMPOS FEIJÓ – ADVOGADOS E CONSULTORES ASSOSSIADOS, estamos

atentos a tais mudanças e, principalmente, no impacto causado tanto no processo

trabalhista como na relação patrão x empregado.


Convidamos você, nosso amigo leitor, a nos acompanhar em uma série de

artigos que vão esclarecer, de forma individualizada, sobre as mudanças que a Lei

13.467/2017 trouxe na legislação trabalhista. A analise será realizada com base na

experiência de advogados que militam na Justiça do Trabalho e, ainda, com base na

jurisprudência mais recente de nossos Tribunais Superiores. Cada artigo tratará

especificamente sobre um tema.


O primeiro artigo da série abordará o tema: Honorários de Sucumbência na

Justiça do Trabalho.


Venha conosco nesta jornada em busca do conhecimento, atualização e

crescimento profissional.


Fontes: http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/vinculoempregaticio.htm

Reforma Trabalhista – Entenda o que mudou. CLT comparada e

comentada. 2ª Edição 2018. Editora Saraiva. Luciano Martinez.

18 visualizações
Contato

Entre em contato conosco através do formulário abaixo ou pelos telefones de nossas sedes em Porto Alegre e São Paulo.

@

@

Assine nossa news

Criado por Zuma Design

Fone: (51) 3343.9999

contato@camposfeijo.com.br 

Av. Dom Pedro II, 1240/413.

Bairro Higienópolis

PORTO ALEGRE/RS

Fone: (11) 5052.7068

contato@camposfeijo.com.br 

Av. Moema, 87/152 - Bloco A

Bairro Moema

SÃO PAULO/SP